Blog

A IGREJA E O CUIDADO COM AS INFRAÇÕES PENAIS

26/11/2012 14:02

A IGREJA E O CUIDADO COM AS INFRAÇÕES PENAIS
Dr. Gilberto Garcia

A Igreja, na qualidade de pessoa jurídica de direito privado, está, da mesma forma que outras entidades, sujeita a cometer, através de seus representantes legais, delitos penais. Em nosso sistema legal, o direito penal, está fundado no princípio esculpido no brocardo latino, “Nullum crimen, nula poena sine legis”, ou seja, “Não há crime, sem lei anterior que o defina”.

Assim destacamos algumas práticas que podem ensejar numa ação ilícita e com conseqüência legais, eis que, uma determinada atitude pode ser deselegante, antipática, não cristã, incorreta, antiética ou mesmo imoral, sem ser ilegal, se esta não estiver tipificada, descrita especificamente de forma detalhada como tal.

A Constituição Federal resguardou a Igreja em suas manifestações de fé, no seu art. 5º, inciso VI, CF/88 – “É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício de cultos religiosos e garantidos, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e as suas liturgias”.

Destaco, para o conhecimento de nossos líderes, algumas questões penais, que reputamos de maior interesse, as quais podem envolver nossas Igrejas, como instituição da sociedade civil, seja como “agente causadora”, ou “paciente atingida” de infrações criminais.

Esta religiosidade é respeitada e protegida pelos poderes republicanos constituídos: Executivo, Legislativo e Judiciário, em suas esferas: Federal, Estadual e/ou Municipal, estando mesmo, em algumas questões jurídicas limitado, conforme determinação legal, a proceder citação judicial no culto religioso, como previsto no art. 217 do Código de Processo Civil, “Não se fará, porém a citação, salvo para evitar o perecimento do direito: I – a quem estiver assistindo a qualquer ato de culto religioso...”.

A liderança da Igreja, especialmente seus diretores estatutários, presidente, vice, secretários, tesoureiros, conselho fiscal, conselho de ética etc, devem estar atentos para não incorrer na violação de “divulgação de segredo”, estabelecida no art. 153 do Código Penal, “Divulgar alguém, sem justa causa, conteúdo de documento particular ou de correspondência confidencial, de que é destinatário ou detentor, e cuja divulgação possa produzir dano a outrem!..”.

Deve o líder eclesiástico evitar a propagação de meias-verdades, que na realidade são inverdades inteiras, como orientar sua congregação a não fazê-lo, diante do risco de atingir a honra das pessoas, congregados ou não, à qual tem proteção Constitucional, e que a justiça prevê ser devidamente indenizado o dano moral causado a terceiros.

De igual forma, também dá ensejo à indenização por dano moral quando se infringi a norma legal, a divulgação de segredo compartilhado em função da ocupação exercida, que é ao mesmo tempo direito e dever do ministro de confissão religiosa, qualquer seja sua expressão de fé, aplicando-se ao pastor, padre, rabino, sheik etc, que também se atinge ao advogado e ao psicólogo, eis que tal prática é definida como crime pelo Código Penal no artigo 154: “Revelar alguém, sem justa causa, segredo, de que tem ciência em razão de função, ministério, ofício ou profissão, e cuja revelação possa produzir dano a outrem."

O legislador penal também se preocupou com relação à necessidade de se respeitar a manifestação de fé de uma pessoa, independente de sua crença, de acordo com o artigo 208 do Código Penal, “Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa, impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso, vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso (...)”.

Outra questão que tem trazido grandes dissabores às Igrejas é a chamada “Perturbação do sossego alheio”, regulado na Lei de Contravenções Penais, no artigo 43, Inciso III: “Perturbar alguém, o trabalho ou o sossego alheios (...) III – Abusando de instrumentos sonoros ou sinais acústicos”. Tenho conhecimento de que em grandes cidades como no Rio e SP, diversas Igrejas Evangélicas foram multadas, em valores vultuosos, por desrespeitarem as regras relativas ao sossego na cidade.

De igual maneira deve ter cuidado o Ministro Religioso com o registrado no art. 238, Código Penal: "Atribuir-se falsamente autoridade para celebração de casamento. (...)"., só realizando cerimônias religiosas, com efeito civil, com a devida autorização legal.

Outro importante cuidado é o registrado na Lei das Contravenções Penais, art. 27: "Explorar a credulidade pública mediante sortilégios, predição do futuro, explicação de sonho, ou práticas congêneres (...)".

E, ainda, é necessário atenção para Lei de Assédio Sexual - Lei 10.224/2001, à qual acrescentou ao Código Penal, o texto do art. 216-A. "Constranger alguém com intuito de obter vantagem ou favorecimento sexual, prevalecendo-se o agente da sua condição de superior hierárquico ou ascendência inerentes ao exercício de emprego, cargo ou função. (...)".
Artigo 226, inciso II, do Código Penal: "A pena é aumentada da Quarta parte: (...) II - se o agente é ascendente, pai adotivo, padrasto, irmão, tutor ou curador, preceptor ou empregador da vítima ou por qualquer outro título tem autoridade sobre ela.". Grifos Nossos.

Neste tempo de cuidados com as infrações penais necessário se faz, que os líderes do povo de Deus, estejam atentos para a influenciarem na elaboração e o cumprimento das leis que afetam a Igreja, enquanto peregrina nesta terra, eis que nós cristãos possuímos a condição de cidadãos de duas pátrias.

“Bem aventurados os que observam o direito, que praticam a justiça em todos os tempos ”. Salmo 106:3

*Gilberto Garcia é Advogado, Pós-Graduado e Mestre em Direito. Consultor Jurídico de Igrejas, Instituições e Organizações Evangélicas. Professor Universitário e Conselheiro Estadual da Ordem dos Advogados do Brasil - Rio de Janeiro. Autor dos Livros: “O Novo Código Civil e as Igrejas” e “O Direito Nosso de Cada Dia”, Editora Vida, e, “Questões Controvertidas - Parte Geral do Código Civil”, e “Novo Direito Associativo”, Editora Método. Site: www.direitonosso.com.br

BIBLIA SENDO MUDADA PELA EDITORA SATANICA

02/11/2012 19:59

BIBLIA SENDO MUDADA PELA EDITORA SATANICA

Editora Vida e Editora Thomas Nelson governados pelo satanismo da HarperCollins

 

Como alguns personagens bíblicos seriam vistos hoje?

26/08/2012 17:49

 

Uma igreja moderna constituiu um Comitê de Púlpito para sugerir nomes para avaliação pela congregação, para a escolha do futuro pastor da igreja.

Entre tantos candidatos, apenas um foi selecionado.

Aqui está o relatório que o Comitê apresentou:

Adão:

É um bom homem, mas parece não ter nenhum controle sobre sua mulher. Existem rumores que ambos gostam de caminhar pelados nos bosques. Quando o confrontamos com esse pecado, jogou a culpa na mulher.

Noé:

No pastorado anterior, que durou 120 anos, não conseguiu ganhar nenhuma alma. Susceptível a projetos de construção irrealistas. Após receber um grande livramento de Deus, esse homem demonstrou ser um fraco e passou a embriagar-se.

Abraão:

Existiam rumores que praticava a troca de casais. No entanto, quando investigamos, constatamos que na verdade ele nunca dormiu com a mulher de ninguém, embora realmente tenha oferecido sua mulher para outros homens, apesar de que nada se concretizou de fato. Em certa ocasião, quase matou seu filho, sendo detido no último segundo. Teve a oportunidade de viver em uma região muito bonita e próspera, mas passou a chance para seu sobrinho. Tememos que possa vir a cair na pobreza e tornar-se um peso para a igreja na velhice. Existem rumores de que, com o consentimento da sua mulher, engravidou uma empregada doméstica, que depois de alguns anos foi demitida e enviada para longe com a criança.

José:

Um estrategista de grande visão, mas parece orgulhar-se de suas capacidades. Acredita em interpretação de sonhos e já esteve preso por quase dez anos. Parece que viveu grande parte de sua vida em abjeta escravidão, o que nos faz pensar se está preparado para lidar com homens de negócios bem-sucedidos e líderes da comunidade. Certa vez acusou um homem de furto e fez com que ele fosse preso injustamente.

Moisés:

Um homem manso e modesto, mas não se expressa bem, chegando a gaguejar. Isso nos faz duvidar de seu passado como membro da família real do Egito. Se ele realmente tivesse essa origem, seria um orador seguro. Algumas vezes, levanta ameaçadoramente seu cajado e tem acessos de raiva. Existem rumores de que abandonou uma igreja anterior após ser acusado de assassinato. Além disso, achamos que seu casamento inter-racial com uma mulher etíope possa vir a causar tensão na nossa igreja.

Davi:

Era o líder mais promissor de todos, até que descobrimos que envolveu-se em um relacionamento extraconjugal com a mulher de um militar. Além disso, parece gostar de matar seus inimigos, em vez de procurar formar associações ecumênicas.

 

Salomão:

É um ótimo pregador e tem uma coleção enorme de provérbios que ele mesmo criou. No entanto, a casa pastoral não é grande o suficiente para abrigar todas as suas mulheres.

Elias:

Tende a cair em depressão. Desestrutura-se completamente quando é colocado sob intensa pressão. Não sabe se comportar em reuniões ecumênicas, pois zomba enquanto os outros ministros adoram e em certa ocasião até os incentivou a se cortarem com lâminas.Foi visto correndo, tentando alcançar um carro, o que nos faz suspeitar de sua sanidade.

Eliseu:

Tivemos informações que morou na casa de uma mulher viúva enquanto estava em uma igreja anterior, o que pode gerar rumores e suspeitas.

Oséias:

Um pastor amoroso e gentil, mas jamais poderíamos tolerar a ocupação de sua mulher.

Jeremias:

É instável emocionalmente, alarmista, negativista, sempre está lamentando por alguma coisa. Soubemos que fez uma longa viagem apenas para enterrar uma peça de roupa nas margens de um rio na Síria. Um rei que leu seus escritos lançou o manuscrito no fogo imediatamente, por causa da linguagem ofensiva, mas Jeremias, teimosamente, escreveu tudo de novo.

Isaías:

Parece ser fronteiriço. Afirma ter visto anjos na igreja. Tem problemas com sua linguagem. Admite abertamente que seus lábios são impuros.

Ezequiel:

Este homem está completamente louco. Durante muitos dias, alimentou-se de uma ração mínima, cozida sobre o esterco de vacas. Quando sua jovem mulher morreu, não esboçou a menor reação. Afirma ter visto sacerdotes e líderes políticos praticando abominações no Templo, o que é uma acusação totalmente absurda. Achamos que precisa de internação urgente.

Jonas:

Recusou o chamado de Deus para pregar no exterior, mas foi forçado a obedecer após ser engolido por um grande peixe em uma tempestade no mar. Diz que o peixe o vomitou em uma praia. Além disso, parece que prega, mas sem desejar que as pessoas realmente se convertam. Recomendamos não arriscar com esse candidato.

Amós:

Devido a sua formação de homem do campo, tem a mentalidade estreita e é grosseiro ao lidar com pessoas de nível social elevado. Sua maior experiência é em tanger o gado e em colher figos. Talvez possa melhorar após estudar em um dos nossos seminários, mas parece ter um bloqueio natural contra os ricos. Achamos que seja um pastor adequado para uma igreja situada em um bairro mais pobre.

Melquizedeque:

Temos ótimas referências do emprego atual dele, mas de onde vem esse homem? Não preencheu as informações no currículo sobre os empregos anteriores, nem sobre sua filiação. Recusa-se a informar a data do nascimento.

João:

Diz que é batista, mas não se veste como tal. Passa vários meses dormindo ao relento, ou em cavernas, tem uma dieta totalmente estranha e provoca os líderes de outras denominações. Tem pouco tato ao lidar com os políticos de alto escalão, fazendo-lhes acusações severas. É totalmente intransigente e não sabe contemporizar.

Pedro:

Um homem rude. Dizem que retorna à antiga ocupação de pescador nos momentos mais impróprios. Tem um péssimo temperamento e pragueja quando fica nervoso. Teve um entrevero com Paulo, em Antioquia. É agressivo, mas na verdade é um frouxo e chora às escondidas.

Paulo:

Líder nato e um pregador fascinante. No entanto, parece ter pouco tato, é impaciente com os pastores jovens, é severo e dizem que gosta de pregar até as altas horas da noite. Além disso, sofre de um problema de visão que o incapacita até para escrever. Certa vez, provocou uma agitação civil e depois fugiu da cidade, escondido em um grande cesto. Morou durante vários meses na casa de Públio, um notório pagão, na ilha de Malta, no Mediterrâneo. Dizem que nesse lugar, fundou uma igreja e iniciou um ministério de manipulação de serpentes. Além disso, tem o inconveniente de ser solte iro.

Tiago & João:

São dois irmãos que gostam de trabalhar juntos. A princípio, o pacote de pregador & assistente parece bom, mas descobrimos que têm um problema de ego com relação aos demais pregadores e que gostam de ocupar posições de destaque nas festas. Certa vez, ameaçaram fazer descer fogo do céu e destruir uma cidade, só por terem sido insultados. Tivemos informações que tentam desencorajar aqueles que não seguem exatamente suas orientações. Diótrefes, que foi líder em uma igreja informa que foi sumariamente desligado após João escrever uma carta instruindo a igreja a tomar essa atitude.

Timóteo:

É jovem e inexperiente demais. Não conseguiria se impor diante dos outros jovens e dos homens mais velhos. É mestiço, e sabemos o que isso significa.Além disso, um diácono que o visitou, viu uma garrafa de vinho na estante da sua sala.

Matusalém:

É velho demais, sem a menor condição de assumir um pastorado.

Jesus:

Teve seus momentos de popularidade, mas depois que sua igreja atingiu 5000 membros, conseguiu ofender, escandalizar e afugentar a quase todos com sermões muito duros. Raramente fica muito tempo em um só lugar. Não tem nenhuma propriedade, bens ou patrimônio pessoal e seria um homem muito necessitado se o chamássemos, pois praticamente pede tudo emprestado e seus amigos precisam sustentá-lo e abrigá-lo em suas casas. Foi visto várias vezes saindo de tavernas e em conversações com prostitutas e com notórios pecadores na região da boca do lixo. Dizem que gosta de tomar bons vinhos e que não recusa convites para festas e banq uetes. Parece estar muito preocupado com os demônios, e, por toda a parte, expulsa-os das pessoas. Elogia aqueles que contribuem com pouco para a obra de Deus e critica aqueles que contribuem com muito. Já recebeu várias ameaças de morte, devido a sua intransigência e a rejeição aberta aos grandes líderes ecumênicos. Certa vez, adentrou na maior igreja da cidade, onde havia um bazar para levantamento de fundos, e, transtornado, derrubou todas as barracas e expulsou o povo utilizando um azorrague que ele mesmo improvisou. Estar próximo de Jesus parece ser muito perigoso. Ele adverte seus seguidores que terão aflições e que serão perseguidos por serem seus discípul os. Além disso, tem a desvantagem de ser solteiro, com o agravante de não demonstrar interesse em desenvolver um relacionamento afetivo com nenhuma mulher. Grande parte de seus ensinos parece suicida, falando de sua própria morte. Seria um ministério muito negativista para a nossa igreja, lembrando que desejamos um pastor que fale sobre o poder do pensamento positivo.

Judas:

As referências aqui são boas. É eficiente, discreto e tem perfil conservador. Gosta de organizar campanhas de arrecadação de fundos para ajudar as obras assistenciais. Tem boas ligações com políticos de alto escalão e com líderes eclesiásticos. Foi tesoureiro durante o tempo em que acompanhou Jesus, e sempre gozou da confiança do grupo. Recentemente, diante de uma multidão, abraçou e beijou Jesus, em uma demonstração singular de confiança e de amizade.

Nós o convidamos para pregar no próximo domingo. Temos possibilidades aqui. Há um rumor que ele se suicidou ontem, mas deve ser um boato sem fundamento, tendo em vista seu tremendo potencial.

E SOBRE VOCÊ , QUAL É A SUA ANÁLISE ?

VIA GRITOS DE ALERTA via panorama cristão.

http://wwwpanoramacristao.blogspot.com.br/

MUITO PARA FAZER, MUITO PARA SOFRER.

26/08/2012 17:48

 

C.H.SPURGEON

"Pastoreiem o rebanho de Deus que está aos seus cuidados. Olhem por ele, não por obrigação, mas de livre vontade, como Deus quer. Não façam isso por ganância, mas com o desejo de servir" (1Pe 5.2).

Que esses cordeiros se tornem o que podem, a glória será do Mestre e não do servo, e todo o tempo gasto, o trabalho dispensado e a energia gasta serão em cada partícula para redundar em louvor dele de quem são esses cordeiros.

Contudo, enquanto isso é uma ocupação de abnegação, e honrada também, podemos cuidar dela sentindo que é uma das mais nobres formas de serviço.

Jesus diz: "Meus cordeiros; Minhas ovelhas." Pense neles, e admire-se de Jesus tê-los entregue a nós.

Pobre Pedro! Certamente, quando aquela refeição matinal começou, ele se sentia desajeitado.

Eu me coloco no lugar dele e sei que mal poderia olhar para Jesus do outro lado da mesa, enquanto me lembrava de que eu o havia negado com imprecações e maldições.

Nosso Senhor quis deixar Pedro bem à vontade ao levá-lo a falar sobre seu amor, que tão seriamente fora colocado em dúvida.

Como um bom médico, ele pôs o bisturi onde a ansiedade estava inflamada, e ele pergunta: "Você me ama?" (Jo 21.13).

Não era porque Jesus não conhecesse o amor de Pedro; mas para que Pedro soubesse com certeza e fizesse uma nova confissão, dizendo: "Sim, Senhor, tu sabes que te amo."

O Senhor estava prestes a ter uma discussão delicada com o errante por alguns minutos, para que nunca mais houvesse uma controvérsia entre ele e Pedro.

Quando Pedro disse: "Sim, Senhor; tu sabes que te amo", você quase pensou que o Senhor responderia: "Oh, Pedro, e eu te amo"; mas ele não disse isso, embora tenha dito isso, sim.

Talvez Pedro não tenha entendido o que ele queria dizer; mas nós podemos entender porque nossa mente não está confusa como estava a de Pedro naquela manhã memorável.

Em outras palavras, Jesus disse: "Eu te amo tanto que confio a você aquilo que eu comprei com o sangue de meu coração”.

A coisa mais preciosa que tenho em todo o mundo é o meu rebanho: veja, Simão, eu tenho tanta confiança em você, dependo inteiramente da sua integridade como sendo uma pessoa que me ama sinceramente, que eu lhe faço um pastor de meus cordeiros. São tudo que eu tenho na Terra, dei tudo por eles, até minha vida; e agora, Simão, filho de Jonas, cuide deles por mim." Ah, foi "falado bondosamente". Foi o grande coração de Cristo dizendo: "Pobre Pedro, entre já e compartilhe comigo os meus mais estimados protegidos."

Jesus acreditou de tal modo na declaração de Pedro que não lhe disse isso com palavras, e sim com atos.

Três vezes, ele o disse: "Cuide de meus cordeiros: pastoreie as minhas ovelhas, cuide das minhas ovelhas", para mostrar o quanto o amou.

Quando o Senhor Jesus ama muito uma pessoa, ele lhe dá muito para fazer ou muito para sofrer.

COMENTÁRIO:

Pedro o pescador agora tem uma nova tarefa na sua vida. Essa mudança marca a extensão da Missão dos discípulos.

Pedro negou Jesus por 3 vezes. Agora Jesus o obriga a afirmar 3 vezes o amor.

No verso 15 Jesus pede a Pedro para apascentar os cordeiros

No verso 16 e 17 Jesus pede a ele para apascentar as ovelhas

Amas-me? No original grego, o verbo é “agapao” que sugere amor que envolve uma escolha deliberada.

Amor inteligente e com propósito, sobretudo da mente e da vontade. (*)

Na sua resposta, Pedro usa o verbo “phileo”, uma forma inferior de amor, que corresponde a “gosto de”.

Jesus novamente pergunta, usando agora o verbo “phileo”, gostas de mim?

Agora Jesus está se referindo a afeição calorosa e natural das emoções e, portanto um amor mais pessoal e afetivo.(*)

Pedro se entristece com essa pergunta.

A diferença nos verbos mostra que o Senhor exigiu menos de Pedro a segunda vez. Note-se também a crescente humildade de Pedro.

Entretanto, às vezes os dois verbos são usados como sinônimos.

Jesus considera o nosso amor por ele como a qualificação básica para o serviço cristão.

(*) Bíblia de Estudo Pentecostal)

Pastor essa é nossa missão: “pastorear o rebanho das ovelhas de Jesus”.

Pr. Alcindo  

A salvação de um paralítico em Cafarnaum

26/08/2012 17:47

 

Texto: Lucas 5:17-32

Introdução:

Irmãos não existem nada mais importante que a bênção da salvação, do perdão e da vida eterna.

O texto de Lucas 5:17-32 registra essa verdade, quando mostra que a ênfase não foi à cura, mas a salvação daquele paralítico.

Vejamos algumas lições sobre a ênfase do texto:

 

1ª Lição – A Salvação, o Perdão dos Pecados e a Vida Eterna é Mais Importante do Que Qualquer Outra Coisa.

“Qual é mais fácil, dizer: Estão perdoados os teus pecados ou: Levanta-te e anda?” (v. 23).

A grande expectativa de toda multidão era a cura do paralítico. E Jesus curou.

Todavia, precisamos considerar a ênfase de Jesus. Ele perdoou os pecados daquele homem, se baseando no sacrifício que iria fazer na cruz do calvário.

Aprendemos aqui, que o homem só pode ser salvo olhando para o sacrifício que Jesus fez na cruz.

A salvação, o perdão dos pecados, e a vida eterna, só há em Jesus (At. 4:12).

Não é igreja, boas obras, méritos, caridade que salvam, mas só Jesus.

O sacrifício de Jesus foi suficiente para perdoar, salvar e conceder vida eterna.

2ª Lição – Seguir a Jesus Deve Ser o Nosso Projeto de Vida

“… viu um publicano, chamado Levi, assentado na coletoria, e disse-lhe: segue-me!” (v. 27).

Levi era um cobrador de impostos e tinha a fama de desonesto, repugnante e odiado pelo povo.

Jesus sempre foi e vai às pessoas que precisam de salvação, de perdão dos pecados, e de vida eterna. Levi, um pecador miserável, após convite, seguiu imediatamente a Jesus.

A quem você está seguindo?

Tem gente dentro da igreja seguindo a fulano, beltrano ou a cicrano.

Nós devemos seguir somente a Jesus, porque Ele é o caminho, a verdade e a vida. Fazendo assim, estaremos dentro da vontade de Deus.

3ª Lição – Fomos Salvos Para Sermos Missionários

“… Ofereceu Levi um grande banquete em sua casa; e numerosos publicanos e outros estavam com eles à mesa” (v. 29).

Não fomos salvos apenas para desfrutar da salvação dando glória a Deus dentro do templo.

Os quatro amigos levaram o paralítico a Jesus (v. 18).

Levi levou seus amigos e familiares a Jesus.

A nossa missão também é conduzir pessoas a Jesus, pois só Ele muda as pessoas.

Todos nós somos missionários. A evangelização é um trabalho pessoal e coletivo.

Portanto irmãos, a salvação, o perdão dos pecados e a vida eterna são mais importantes do que qualquer outra coisa;

seguir a Jesus deve ser o nosso projeto de vida e fomos salvos para sermos missionários.

Amém.

Rev. Edson Dantas

Fonte: O Pregador Fiel

Fonte: http://estudos.gospelprime.com.br

COMENTÁRIO

O homem perdoado recebeu a força de se levantar e andar, pois o perdão divino é sempre acompanhado pelo poder para deixar o pecado e andar em novidade de vida (Rm 06.04)

Jesus não ensinava que em todos os casos a aflição resulta do pecado. Mas como grande médico faz seu diagnóstico inerrante. A condição física do homem se originou de uma causa fundamentalmente espiritual. Jesus disse: os teus pecados estão perdoados. Só quem conhece o coração pode perdoar o pecado.

Pr. Alcindo 

Você está do lado do Senhor?

26/08/2012 17:46

 

Texto: Êxodo 32:19-26

Introdução

A. Uma das maiores perguntas na Bíblia está em Êxodo 32:26

1. Feita por Moisés quando ele desceu do Monte com os 10 mandamentos.

2. O que ele viu o irritou e o enfureceu! E não é de admirar...

3. O povo de Deus estava adorando um bezerro de ouro e se comportando imoralmente.

4. Inclusive Arão se envolveu nesta cena pecaminosa e vergonhosa.

 

B. Muitas pessoas hoje pensam que estão do lado do Senhor

1. Muitos religiosos afirmam estar do lado Senhor – Tito 1:16 “No tocante a Deus, professam conhecê-lo; entretanto, o negam por suas obras; é por isso que são abomináveis, desobedientes e reprovados para toda boa obra”

2. Alguns membros nominais da igreja também fazem essa mesma afirmação

3. Jesus advertiu em Mateus 7:21 “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus”

4. Muitos vão dizer Senhor, Senhor!.... Mas Jesus lhes dirá "Nunca vos conheci. Apartai-vos de mim...”

 

C. Quem está realmente do lado do Senhor nestes dias?

1. Não julgue pelas aparências, ou pelo que as pessoas dizem, mas sim o que elas fazem.

2. Devemos ser cumpridores da palavra, não somente ouvintes! Tiago 1:22,25 “22. Tornai-vos, pois, praticantes da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos” “25. Mas aquele que considera, atentamente, na lei perfeita, lei da liberdade, e nela persevera, não sendo ouvinte negligente, mas operoso praticante, esse será bem-aventurado no que realizar”

 

Quem está realmente do lado do Senhor?

I. Os que permanecem na Verdade

A. Israel virou as costas para o Deus que os tirou da escravidão.

1. Ele abriu o Mar Vermelho, e os levou através do deserto, e derrotou seus inimigos.

2. Agora, eles se recusam a ficar sobre a verdade de que Ele era Deus.

 

B. O povo de Deus hoje tem o mesmo problema

1. Dizemos que amamos a verdade, mas não permanecemos nela. Nós rapidamente comprometemos as questões de fé e doutrina. Em vez disso deveríamos odiar todo caminho de falsidade e mentira. Salmo 119:1-4 “Bem-aventurados os irrepreensíveis no seu caminho, que andam na lei do SENHOR. Bem-aventurados os que guardam as suas prescrições e o buscam de todo o coração; não praticam iniquidade e andam nos seus caminhos. Tu ordenaste os teus mandamentos, para que os cumpramos à risca”.

2. Paulo nos diz para enfrentar as forças do mal - Efésios 6:14 "Estai, pois, firmes, cingindo-vos com a verdade e vestindo-vos da couraça da justiça"

3. Não há realmente lugar para compromisso com a doutrina pura de Cristo.

4. "Quem não é por mim é contra mim; e quem comigo não ajunta espalha" Mateus 12:30 Quem está realmente do lado do Senhor?

 

II. Os que estão satisfeitos com a Verdade

A. Os Filhos de Israel nunca estavam satisfeitos!

1. Desde o momento em que saíram do Egito tudo o que eles faziam era reclamar.

2. Aqui a reclamação foi que Moisés não voltava do Monte.

3. Eles foram a Arão, e conseguiram sua cooperação para fazer um bezerro de metal fundido.

4. Então ele declarou: "Amanhã será festa ao Senhor" Êxodo 32:1-5

 

B. O povo de Deus hoje precisa estar satisfeito com a verdade

1. Muitas vezes, somos como os Gálatas, "Admira-me que estejais passando tão depressa daquele que vos chamou na graça de Cristo para outro evangelho". Gálatas 1:6

2. Quando estamos satisfeitos com a verdade, nós não vamos à procura de outras opções.

3. Nós não estaremos clamando por mudança, buscando as coisas do nosso jeito.

4. O povo de Israel adorou este bezerro de metal fundido em Nome do Senhor, o que era uma blasfêmia e uma ofensa contra Deus. “E o povo assentou-se para comer e beber, e levantou-se para divertir-se" v. 6. Êxodo 20:3-4 - "Não terás outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra"

5. A falsa adoração leva a um comportamento mundano e pecaminoso. É por isso que devemos adorar a Deus em espírito e verdade, e estar satisfeito com isso. João 4:24 “Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade” Quem está realmente do lado do Senhor?

 

III. Os que falam a Verdade

A. Quando Moisés confrontou Arão, ele começou a culpar o povo – Êxodo 32:21-24

1. A verdade é que Arão tinha muita culpa também!

2. Ele incentivou e colaborou com a vontade do povo, em vez de falar a verdade, e adverti-los contra o eles queriam fazer.

3. Este é o pecado da liderança fraca e uma recusa em aceitar a responsabilidade pessoal quando erros são cometidos. V. 33-35 "foi o que Arão fez”.

 

B. O povo de Deus hoje deve falar a verdade em amor.

Efésios 4:15 "Mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo” Efésios 4:25 “Por isso, deixando a mentira, fale cada um a verdade com o seu próximo, porque somos membros uns dos outros”

1. Não deve haver desonestidade, engano ou tentativa de culpar os outros.

2. Sempre que fizermos algo errado, deve haver arrependimento, em seguida, compartilhar o perdão – Mateus 18:15-17 “Se teu irmão pecar [contra ti], vai argui-lo entre ti e ele só. Se ele te ouvir, ganhaste a teu irmão. Se, porém, não te ouvir, toma ainda contigo uma ou duas pessoas, para que, pelo depoimento de duas ou três testemunhas, toda palavra se estabeleça. E, se ele não os atender, dize-o à igreja; e, se recusar ouvir também a igreja, considera-o como gentio e publicano” Tenha a coragem de admitir o erro.

3. Os que estão do lado do Senhor são aqueles que sempre falam a verdade!

4. E não tenha medo de dizer aos que nos cerca de Jesus, caminho, verdade e vida – João 14:6 Quem está realmente do lado do Senhor?

 

IV. Os que são salvos pela Verdade

A. Moisés implorou a Deus pelos pecados do povo – Êxodo 32:30-33

1. Eles precisavam ser salvos pela verdade – Eles eram povo de Deus.

2. O perdão dos pecados era a sua maior necessidade como é para nós hoje!

 

B. Você foi salvo pela verdade? – I Pedro 1:22 "Tendo purificado a vossa alma, pela vossa obediência à verdade, tendo em vista o amor fraternal não fingido, amai-vos, de coração, uns aos outros ardentemente"

1. Somos salvos quando obedecemos a verdade. João 8:32 “e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” 2. A verdade é a Palavra de Deus que ensina que é preciso crer, confessar, arrepender e ser batizado em Cristo, para remissão dos pecados - Atos 2:38 “Respondeu-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remis são dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo”

3. Qualquer outro caminho é um caminho falso, não é a verdade e não vai salvar – Provérbios 14:12“Há caminho que ao homem parece direito, mas ao cabo dá em caminhos de morte”

4. O caminho da verdade é um caminho estreito, mas é o caminho certo

– Mateus 7:13-14 “Entrai pela porta estreita (larga é a porta, e espaçoso, o caminho que conduz para a perdição, e são muitos os que entram por ela), porque estreita é a porta, e apertado, o caminho que conduz para a vida, e são poucos os que acertam com ela”

a. Duas portas. (Estreita e larga).

b. Dois caminhos. (Vida e morte).

c. Dois tipos de fruto. (Bom e podre).

d. Dois tipos de pessoas. (Sábios e tolos).

e. Duas fundações. (Rocha ou areia).

f. Duas casas. (A que vai permanecer de pé e a outro que vai cair)

 

Conclusão:

Você foi salvo pela verdade?

Se não, então você não está do lado do Senhor, não importa o que você diz, pensa ou sente, é o que você faz que conta, que mostra se você realmente está do lado do Senhor. Lucas 6:46 “Por que me chamais Senhor, Senhor, e não fazeis o que vos mando?”

"Vós sois meus amigos, se fizerdes o que Eu vos mando" João 15:14 Um grande se - pode mantê-lo fora do Céu, mas somente se você permitir. Isso seria um grande erro. Mas você pode fazer algo sobre isso agora, ao decidir; eu quero estar do lado do Senhor, sendo batizado, tornando-se membro da Igreja, vivendo com fidelidade até a hora da morte, ou até a sua vinda. Apocalipse 2:10 “Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida”

Pr. Aldenir Araújo

http://www.opregadorfiel.com.br

 

Crente x Sexo

26/08/2012 17:44

 

RESULTADO DA PESQUISA "CRENTE E O SEXO"

A pesquisa foi elaborada pelo BEBEC - Bureau de pesquisa e estatistica cristã.

Segundo informações contidas nesse PDF, foram analisadas 71.552 pessoas.

A pesquisa no quesito casados evangélicos analisou 5.39 respostas

A pesquisa no quesito solteiros evangélicos analisou 6.721 respostas

A pesquisa no quesito jovem (18-24 anos) analisou 4.69 respostas

É alarmante o resultado obtido nessa pesquisa.

Para se ter uma idéia destaco o seguinte:

1 - 66,13% dos solteiros já praticaram sexo

2 - 40,25% dos jovens já praticaram sexo

3 - 54,57% dos jovens tiveram experiência sexual após a conversão

4 - 64,58% dos jovens mantiveram a experiência sexual após a conversão

5 - 5,02% dos solteiros mantêm relacionamento homossexual

6 - 10,69% dos solteiros têm desejos de manter relacionamento homossexual

7 - 20,55% dos jovens quando estão namorando tem vida sexual plena e ativa

8 - 33,04% dos jovens quando estão namorando praticam sexo anal

9 - 55,50% dos solteiros usam de pornografia através da internet

10 – 11,97% dos solteiros freqüentam motéis

Vale a pena ler o livro (apenas 15 folhas)... outros índices mostrarão uma faceta dos crentes diante do sexo.

Digo com sinceridade que fiquei abismado com esses índices. Não imaginava que chegassemos a tanto.

Creio que a Igreja deve tomar uma postura diante dessa situação.

É emergencial tomar uma providência no sentido de aconselhamento, orientação, porque a seguir nessa toada,

"uma boa parte" dos crentes, principalmente os jovens, está navegando em águas turvas.

É papel da "Igreja" mudar esse quadro sombrio e letal para muitos crentes.

Gostaria de ouvir comentário a respeito do tema.

Muito surpreso,

Pr. Alcindo

Generosidade, o fundamento da prosperidade

26/08/2012 17:41

 

Rev. Hernandes Dias Lopes

A generosidade é o caminho da prosperidade.

Quando abrimos o coração e as mãos para socorrer os aflitos, Deus abre sobre nós as janelas dos céus. A generosidade e não a usura é a fonte da verdadeira prosperidade. Vejamos três aspectos da generosidade cristã:


EM PRIMEIRO LUGAR,

A generosidade é uma semeadura que produz farta colheita.

A Palavra de Deus diz: "A quem dá liberalmente, ainda se lhe acrescenta mais e mais; ao que retém mais do que é justo, ser-lhe-á pura perda" (Pv 11.24).

Na economia de Deus, você tem o que dá e perde o que retém.

O dinheiro é como uma semente, só se multiplica quando é semeado. A semente que se multiplica não é a que comemos nem a que guardamos, mas a que semeamos.

A semeadura generosa terá uma colheita farta, pois quem dá liberalmente, ainda se lhe acrescenta mais e mais.

É o próprio Deus quem multiplica a nossa semente e faz prosperar a nossa sementeira, quando abrimos a mão para abençoar.

Mãos abertas produzem bolsos cheios. O contrário, também, é verdadeiro.

Ao que retém mais do que é justo, ser-lhe-á pura perda. Vasa entre os dedos. É como receber salário e colocá-lo num saco furado.

Aqueles que acumulam com avareza o que poderia socorrer o aflito, descobre que esse dinheiro acumulado não pode lhes dar felicidade nem segurança.

Aqueles que ajuntaram fortunas e viveram no fausto e no luxo, deixando à míngua o próximo à sua porta, descobrem que, quando a morte chegar, não poderão levar sequer um centavo.

NÃO HÁ CAMINHÃO DE MUDANÇA EM ENTERRO NEM GAVETA EM CAIXÃO.

Mas aquilo que você dá com generosidade, é como uma semente bendita que se multiplica e alimenta a milhares.


EM SEGUNDO LUGAR,

A generosidade é uma dádiva que produz prosperidade.

A Palavra de Deus é clara em afirmar: "A alma generosa prosperará, e quem dá a beber será dessedentado" (Pv 11.25).

A prosperidade não é resultado da usura, mas da generosidade.

A avareza é a mãe da pobreza, mas a generosidade é a genetriz da prosperidade.

Aqueles cujos corações foram abertos por Deus, têm mãos e bolsos abertos para socorrer os necessitados.

Jesus Cristo disse que mais bem-aventurado é dar do que receber.

A contribuição não é um favor que fazemos às pessoas, mas uma graça que recebemos de Deus.

Quando abrimos a mão para ofertar estamos investindo em nós mesmos e semeando em nosso próprio campo.

Quem dá ao pobre empresta a Deus e ele jamais fica em débito com ninguém.

Deus multiplica a sementeira daquele que semeia na vida dos seus irmãos.

Quem dá alívio aos outros, alívio receberá.

Quando damos a beber a quem tem sede, dessedentamos a nós mesmos. O bem que fazemos aos outros, retorna para nós em dobro.


EM TERCEIRO LUGAR,

a generosidade é um empréstimo a Deus, que a ninguém fica devendo.

A Palavra de Deus é enfática: "Quem se compadece do pobre ao Senhor empresta, e este lhe paga o seu benefício" (Pv 19.17).

Deus sempre demonstra um cuidado especial aos pobres.

Deus, porém, faz tanto o rico quanto o pobre. Se o pobre é um mistério divino, o rico tem um ministério divino. O rico não deve acumular sua riqueza com avareza, mas distribui-la com generosidade. Deve ser rico de boas obras e ter consciência de que, o que recebe de Deus com abundância, deve ser compartilhado com generosidade. Isso é como emprestar a Deus, pois Deus é o fiador do pobre.

Deus nunca fica em dívida com ninguém. Ele não dá calote. Sua justiça é perfeita e sua misericórdia não tem fim. Ele é a fonte de todo o bem.

Tudo o que temos e somos vem de Deus. Riquezas e glórias vêm das suas mãos.

É ele quem multiplica a nossa sementeira para continuarmos semeando na vida do nosso próximo. É ele quem nos faz prosperar como fruto da generosidade.

É ele quem nos paga em dobro tudo quanto ofertamos ao pobre.

http://hernandesdiaslopes.com.br/2012/05/generosidade-o-fundamento-da-prosperidade

COMENTÁRIO:

É inconcebível a idéia de que alguém que anda nos caminhos do Senhor, segue seus conselhos, anda em obediência e lealdade não fique próspero.

A prosperidade faz parte do projeto original de Deus para o homem. Isso não é nenhum segredo, e nem concessão especial para uma determinada pessoa. Todos podem experimentar desse progresso em sua vida, basta aceitar o Senhor Jesus como seu único Salvador e Rei de sua vida.

A prosperidade na vida dos servos de Deus é resultado do plantio e da colheita.

Não há e nem pode haver prosperidade na base da barganha entre a criatura e o seu criador.

A tal teologia da prosperidade imposta por inúmeros pregadores, nada mais é do que uma heresia, uma mentira, uma falsa.

O que temos visto e ouvido é que muitos aproveitadores de plantão, estão inventando artifícios para se enriquecerem a custa dos incautos e desconhecedores da Palavra de Deus.

Toalhas ungidas, azeite santo, anéis, faixas, gravatas, lâmpadas, rosas, e outras tantas besteiras jamais farão qualquer efeito diante de Deus. Isso é comércio e é abominável diante de Deus.

Deus não abençoará o homem só porque comprou “umas abobrinhas” ou se filiou a uma igreja como “mantenedor”, “sócio”, “patrocinador” e outros adjetivos que os falsários utilizam para disfarçar seu “método” de arrancar dinheiro, de ludibriar e falsificar os ensinos sagrados.

Nada disso é necessário, muito pelo contrário, esse “sistema” afasta o homem de Deus, pois, assim fazendo, estão negando a fé, e obrigando Deus a satisfazer seus caprichos.

Mantenedor, sócio, patrocinador dá claramente a idéia de clubes esportivos ou recreativos, onde a pessoa paga “jóia” para entrar, e “taxa” mensal para usufruir os benefícios daquela agremiação.

A Casa de Deus é chamada Casa de Oração, e não centro de entretenimentos. Não é mera coincidência que os tais “donos dos clubes” se referem as “reuniões de homens de negócios”, ao invés de se referirem à “cultos” ao Senhor Deus Supremo.

Os sócios desses “clubes neopentecostais” não vão a Igreja cultuar e adorar a Deus vão aos “circos armados” onde se oferecerem entretenimentos, brincadeiras, gincanas, palhaçadas e outras coisas do gênero. Um “verdadeiro bingo”. Arrisquem seus palpites e poderão sair dali com alguma “prenda”. Podem fazer sua oferta...

Os palcos são completamente diferentes dos púlpitos. Os manipuladores de auditórios são completamente diferentes dos pastores.

Enfim... Enquanto existirem espectadores, existirão os circos, e, por sua vez, também, os palhaços.

Que Deus tenha misericórdia de nós.

Pr. Alcindo

O que Podemos Aprender com os Erros de Jonas

25/08/2012 22:44

Texto: Jonas cap. 1 a 4 Introdução:

A fraqueza do homem e a graça de Deus.

Jonas, filho de Amitai, profeta bastante ativo durante o reinado de Jeroboão II, no reino Norte de Israel, entre os anos de 787 e 747 A.C.

Jonas viveu num tempo dificílimo e sob o regime de um rei perverso, que “fez o que era mal perante os olhos do Senhor” (2 Reis 14:24).

Jonas tinha consciência de que nos seus dias a grande ameaça para Israel era a Assíria, cuja capital era Nínive. De acordo com 2 Reis 15:19, esta era, naqueles dias, a consciência de qualquer cidadão em Israel.

Você já ouviu alguém dizer: “Não erre para aprender, aprenda com o erro dos outros”.

I) QUANDO DEUS FALA, FUGIR É PERIGOSO

1. Quando é Deus quem está falando, Ele é claro e muitas vezes detalhista. “Veio a Palavra do Senhor a Jonas, filho de Amitai, dizendo:…” (Jn. 1.1 Neste caso Ele deu o endereço, a mensagem e disse o porquê).

2. Há uma grande diferença entre a resposta de Jonas e a de Abraão ao ouvir a ordem do Senhor… Em Gn. 22.2 disse o Senhor para Abraão: “Toma agora o teu filho, o teu único filho, Isaque, a quem amas, e vai-te à terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto sobre uma das montanhas, que eu te direi”… veja como ele responde no v.3: “Então se levantou Abraão pela manhã de madrugada, e albardou o seu jumento, e tomou consigo dois de seus moços e Isaque seu filho; e cortou a lenha para o holocausto, e levantou-se, e foi ao lugar que Deus lhe dissera”.

3. Mas em vez de ir para Nínive, Jonas rebelou-se e fugiu. Foi para Jope, cidade marítima a cerca de 55km ao norte de Jerusalém. Lá ele comprou uma passagem em um navio cargueiro que ia para Társis, uma cidade na Espanha conhecida por seus poderosos navios e fundição de metais preciosos.

Era uma cidade corrupta que representava prosperidade, sucesso e poder.

Ora, os navios mercantes do Mediterrâneo nos dias de Jonas navegavam entre Jope e Társis, parando em outras cidades portuárias na Grécia e na Turquia.

Logo, a viagem de Jonas provavelmente foi planejada para ser uma jornada de três a quatro semanas.

II) CRISE DE ORAÇÃO NA VIDA DE UM PROFETA

1. O que pode acontecer quando não oramos? A crise de Jonas, antes de tudo foi “crise de oração”. Por que a Bíblia insiste tanto para que oremos?

2. Para Paulo orar não era uma opção, era uma questão vital,imprescindível, uma questão de sobrevivência: Para a Igreja de Tessalônica ele diz: “Orai sem cessar” (1 Ts. 5.17). Para a igreja de Roma, (Rm. 12.12) “Alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração”; para a igreja de Éfeso (Ef. 6.18) “Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos,”.

3. Jesus tinha uma disciplina rígida de oração: Ele começa seu ministério orando e jejuando 40 dias (Mt. 4) “E, tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites, depois teve fome;”. Em Mt. 14.23 está escrito: “E, despedida a multidão, subiu ao monte para orar, à parte”. Foi Ele quem disse: “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca”. (Mt 26.41).

4. A igreja primitiva nasceu numa atmosfera de oração e cresceu nesta atmosfera (Atos 1:14; 2.42)

5. Quando não oramos:

(1) Em vez de responder pra Deus, “eis-me aqui…” dizemos, “não conta comigo” (Levantamos para fugir… v.3). Quando você não ora, está dizendo para Deus: “não conte comigo”.

(2) Perdemos o senso de direção e “pegamos barco errado”. “…tendo descido a Jope, achou um navio que ia para Tarsis;” (Mas não era o lugar indicado pelo Senhor). v.3 Ausência de oração é demonstração de insubmissão ao Senhor.

(3) Deixamos de ser agente de benção para ser a “causa” do sofrimento dos que caminham, viajam, estão junto conosco. (Jn. 1.4,5). A desobediência de Jonas tirou a tranquilidade da viagem (grande tempestade), provocou um grande prejuízo financeiro (lançavam ao mar a carga que estava no navio).

(4) Ausência de oração nos faz indiferentes, petrificados, insensíveis etc… “os marinheiros, cheios de medo, clamavam… lutavam para aliviar o peso. Jonas, porém, havia descido ao porão, se deitado e dormia profundamente”. (Jn. 1.5).

É terrível quando alguém ignora o que está acontecendo em sua família, com vizinhos, na empresa, na escola, na igreja e diz: “Não tenho nada a ver com isso… não me diz respeito… eu deito e durmo…”. Jonas estava indiferente em relação a sua própria vida. “Tomai-me e lançai-me ao mar…” (1.12).

(5) Nada mais terrível para um cristão do que ser repreendido pelo mundo. Jonas foi repreendido pelos pagãos (Jn. 1.6).

(6) Quando não oramos, nossa vida se torna uma contradição, uma incoerência… Quando interrogamos Jonas, ele disse: “Temo ao Senhor… (1.9) isso não era o que se verificava no seu comportamento. Ausência de oração nos faz dizer uma coisa e viver outra. Diante do interrogatório justifica sua fé e temor, mas é uma fé e temor que não produzem oração.

III) O QUE ACONTECE QUANDO ORAMOS:

1. Jonas orou quando a única saída era orar (Jn. 2.1). Não espere para orar quando estiver no “ventre do peixe”… Na minha angústia, clamei ao Senhor (Jn. 2.2); …do ventre do abismo, gritei… (Jn. 2.2). Quando desfalecia a alma ele se lembrou do Senhor (Jn. 2.7);

2. A oração sincera faz com que Deus nos tire do “ventre do peixe”(Jn. 2.10)

3. Quando oramos Deus volta a falar conosco dando-nos uma segunda oportunidade (Jn 3.1).

4. A oração repele todo sentimento de insubmissão e nos faz servos obedientes… “Levantou-se, pois, Jonas e foi a Nínive, e segundo a palavra do Senhor”. (Jn. 3.2). Toda insubmissão é resultado de uma vida pobre de oração. Não se engane, quando deixamos de orar o velho homem orgulhoso, soberbo, arrogante, presunçoso assume o domínio da nossa vida.

5. Os resultados de tudo o que eu faço para Deus, depende do quanto eu levo a sério minha vida de oração. Nada acontece por acaso, o texto diz que Jonas pregou e os ninivitas creram e se arrependeram… (Jn. 3.5)

Pr. Josué Gonçalves

Fonte: Sermão Online Fonte: http://estudos.gospelprime.com.br

 

COMENTÁRIO:

Jonas foi incumbido por Deus para realizar uma tarefa importante. Jonas procurou evadir-se.

Jonas descobriu que os pensamentos de Deus não eram os seus pensamentos e que os seus caminhos não eram os caminhos de Deus.

Apesar dessas diferenças Deus não desistiu de Jonas, e o queria realizando seu projeto, independentemente se era do agrado ou não de Jonas.

Interessante observar que primeira metade da história, Deus permite que Jonas chegue ao extremo de quase perder a própria vida, somente para em seguida restaurá-lo à posição onde ele se encontrava antes dele tentar, por meios físicos, evitar cumprir o mandado de Deus.

Na segunda metade da história o Senhor permite que Jonas chegue ao extremo da depressão mental e espiritual, somente para revelar a ele a correção essencial de seus misericordiosos propósitos.

No livro de Jonas fica patente o modo da soberana misericórdia e justiça de Deus, ao conceder a Nínive o arrependimento para a vida, enquanto que, por outro lado, fica destacado o pecaminoso particularismo de Jonas, ao resistir contra essa manifestação da vontade divina.

Aqui não se trata de uma simples parábola, ou livro de ficção homilélita , mas, sim de uma narrativa histórica.

Os livros da Bíblia não são produções fortuitas.

A ameaça de destruição feita por Jonas aos moradores de Nínive foi suspensa, por causa do arrependimento e humilhação de seus habitantes.

150 Anos após, Deus chamou o profeta Naum para predizer a destruição de Nínive.

Nínive era a capital da Assíria (atual Turquia) que durante três séculos dominou o mundo.

Mais ou menos 40 anos mais tarde a cidade de Nínive foi invadida e saqueada e totalmente destruída, por uma coalizão de babilônios, citas e medas.

Pr. Alcindo

Notícias

IGREJAS AGORA DEVERAM PAGAR DIREITOS AUTORAIS

02/11/2012 20:03
IGREJAS AGORA DEVERAM PAGAR DIREITOS AUTORAIS O pagamento de direitos autorais para músicos e compositores cristãos que tem suas obras reproduzidas dentro de igrejas causou polêmica na tarde dessa quarta feira na internet. A polêmica surgiu em torno da atuação da CCLI (Christian Copyright...